[Resenha] Os 13 Porquês

postado por Ingrid Santos

Autor: Jay Asher
Editora: Ática
Páginas: 256



O que leva uma pessoa a cometer suicídio?

Em um dia comum Clay Jensen encontra em sua porta uma caixa com seu nome, sem nenhum remetente. Dentro dessa caixa haviam 7 fitas cassete, todas com marcações em cada um de seus lados, uma numeração de 1 a 13. E, assim que, por curiosidade, colocou a primeira fita para tocar sua vida mudou. 

A voz que ele reconheceu nas fitas pertencia a Hannah Baker, sua colega de escola, pela qual ele era apaixonado e que cometera suicídio apenas duas semanas antes. Cada um daqueles 13 lados das fitas continha uma nome, uma pessoa, uma história. Cada uma daquelas histórias contadas por Hannah são os motivos pelos quais ela cometeu suicídio e só quem sabe disso são as pessoas que ela escolheu para ouvir aquelas fitas, protagonistas de cada história e que de uma forma ou outra contribuíram para a decisão dela. Clay tem apenas que seguir duas regras:
1ª escute todas as fitas.
2ª repasse as fitas para a pessoa citada após você na ordem das histórias, e se não fizer isso outras cópias das mesmas fitas, que contêm relatos de coisas extremamente pessoais de cada pessoa da lista, irão chegar às mãos de toda a cidade.

O garoto passa a percorrer a cidade com um mapa que ele descobre ser parte das histórias contadas nas fitas enquanto as escutava, sem saber por que está nessa lista e quem são as outras pessoas incluídas nela. Atordoado pelas coisas que descobre e pelos 13 motivos de Hannah.

Nunca havia lido nada desse autor ou do assunto tratado nele e me interessei muito. Bullying, amizade, falsidade e depressão são os principais focos da história, relata no contexto de jovens estudantes. É uma história que não foge nem um pouco da realidade atual, e que poderia ter realmente ocorrido. 

A história é narrada por Clay mas, enquanto lemos os pensamentos e ações dele, também escutamos todo o conteúdo das fitas de Hannah com ele. Sendo assim, apesar de ela estar já estar morta desde o começo do livro, conseguimos nos conectar com ela, sentindo sua história e seus sentimentos por meio da narração das fitas.

Os motivos podem parecer um pouco bobos no começo e por isso muitas pessoas não gostam de Hannah, porém, assim que a bola de neve começa a crescer, coisas mais sérias vão sendo descritas e é possível perceber que não há nada de surperficial na situação da garota. Clay também sente isso, e a cada fita que ele ouve fica mais espantado com as coisas que descobre. 

Uma mistura tão grande de sentimentos que envolvem as personagens principais, tais como depressão e perda, precisariam ser muito bem trabalhadas e isso acontece no livro. Não há como não se sentir como parte daquilo, querendo sair para abraçar Clay em todos os momentos e pedir que o tempo volte e a vida de Hannah possa ser melhor. É angustiante porém encantador.

Realmente não há um "final feliz", e sim um final que explora bem o tema e a lição passada pelo livro. Nossas ações não tem consequência apenas na nossa vida, mas também na de algumas das pessoas que nos cercam e algo banal para você pode fazer parte de algo muito maior, que em casos extremos leva a fim drásticos. É o típico drama vivido pelos adolescentes, feito de uma forma ótima e muito real.

Classificação: 
  




4 comentários:

suuh disse...

nossa, queria muuuito ler esse livro, várias pessoas já me indicaram!

Henrico Honorato Moraes disse...

Muito tocante esse livro!

Sua resenha conseguiu transportar essa essência do livro. Meus Parabéns!

Emily Swan disse...

Eu já havia marcado esse livro na minha estante do Skoob e, com a sua resenha, a minha curiosidade aumento uns 100%. Muito boa sua resenha, parabéns :)

Um beijo,
Emily Swan
Livro Apaixonado

Renata Cerqueira disse...

Terminei de ler esse livro ontem, e adorei !
É um livro muito interessante.
Beijos.
Capricornizando

Postar um comentário

Obrigada pela visita.
Assim quando eu puder eu vou responder e retribuir o seu comentário, por isso eu te peço que não esqueça de colocar o link do seu blog aqui.
Volte sempre!
Beijinhos.